· Piracicaba: (19) 3434-9873 ·· Jundiaí: (11) 4526-2528 ·

Ambientes de trabalho no geral são espaços plurais, onde você vai lidar com um grande número de personalidades diferentes da sua, pessoas com formas de agir singulares e todos os aspectos das complexas relações interpessoais – e é exatamente pelo fato das relações interpessoais serem extremamente complexas que os conflitos no trabalho acabam ocorrendo. Mas como o trabalho é algo que exige esforço mútuo, compreensão e colaboração, existem meios diretos e indiretos de evitar, lidar ou gerenciar conflitos dentro do ambiente de uma empresa ou instituição. 

Saber formas de mediação de conflitos é importante tanto para quem já está no mercado de trabalho quanto para quem ainda está se preparando para entrar no mercado, já que assim a pessoa pode entender melhor como identificar e resolver esses conflitos sem precisar experienciá-los por conta própria para ter uma dimensão de como eles de fato acontecem. Por isso, pensando em quem está entrando no mercado de trabalho, nós da Evolut listamos neste artigo alguns dos tipos de conflitos que ocorrem de forma comum nesse ambiente e algumas formas de minimização e intervenção em relação a eles – um guia curto e básico de como enfrentar esses conflitos e tirar lições importantes deles.

Antes de tudo é preciso entender que esses conflitos no trabalho surgem pelos mais diversos motivos: eles podem acontecer por meras divergências de ponto de vista entre dois profissionais, por exemplo, mas também podem ocorrer por divergências maiores de direcionamento de um projeto – algo que exige mais esforço e mediação para ser resolvido. No caso dos conflitos menores, esses podem ser resolvidos com técnicas mais simples e exigem uma intervenção mais rápida, afinal, são conflitos que acabam atrapalhando o fluxo de trabalho e acarretando em certa perda de tempo (lembrando que otimização do tempo no trabalho é sempre primordial). 

Além desses tipos de conflitos, é interessante ressaltar que nem toda a discussão no trabalho deve ser vista com um viés conflituoso, afinal, discussões que chocam pontos de vista de forma positiva e construtiva são ótimas para o crescimento profissional de qualquer pessoa e empresa e devem até ser incentivadas. O problema é quando essas discussões entram em um patamar exagerado, com argumentos inflamados e que, por vezes, vão muito além do âmbito profissional, culminando em reais problemas de relacionamento interpessoal.

Como mediar conflitos no trabalho, seja como profissional comum ou como gestor

Como mediar conflitos no trabalho, seja como profissional comum ou como gestor?

Como citado anteriormente, é necessário entender a diferença de dinâmica entre uma discussão normal de trabalho e um conflito. Numa discussão normal, os argumentos podem (e vão) ser divergentes, mas o debate se manterá em níveis seguros de razoabilidade e respeito. Já num conflito os argumentos serão mais acalorados e desrespeitosos. Como profissional comum, você pode tomar a liderança na situação, sugerindo outros pontos de vista para balancear a discussão ou simplesmente pedindo respeitosamente que as partes se acalmem.

Já como gestor, existe uma responsabilidade maior para que você faça a mediação do conflito, como um dever profissional e moral naturalmente exigido. Para isso, use a sua autoridade de forma positiva procurando acalmar os ânimos das pessoas envolvidas na situação caso ela ocorra enquanto você estiver observando. Já se o conflito ocorrer sem a sua presença, existem algumas formas de lidar com ele mesmo assim.

entendimento-dialogo-e-escuta-passos-essenciais-para-mediar-conflitos-no-trabalho

Entendimento, diálogo e escuta: os passos essenciais para mediar conflitos no trabalho

O primeiro passo para lidar de forma certa com conflitos no trabalho é identificar como eles tiveram início. Qual a discordância entre as partes envolvidas na situação? Quais as motivações do embate? É um conflito baseado apenas em questões relacionadas ao trabalho ou ele começou e/ou extrapolou para o âmbito pessoal? É um conflito leve ou grave? Há quanto tempo essa discordância vem se desenvolvendo? 

Caso você seja um gestor, essa fase da identificação é mais prática pois você pode conversar separadamente e posteriormente de forma unificada com as partes envolvidas no conflito para colher melhor as informações e montar um panorama do que está acontecendo. No caso de ser um profissional comum, o jeito é também conversar diretamente com as partes envolvidas para entender o que se passou – não caia na tentação de tentar entender o conflito por meio de conversas alheias ou fofocas. Converse com as partes envolvidas de forma respeitosa e ouça o que elas têm a dizer sem forçar a barra, afinal, mesmo o conflito tendo se passado no ambiente de trabalho, não é todo mundo envolvido em alguma situação desse tipo que quer exatamente relatar o que aconteceu.

Conversar com as duas partes separadamente é importante para não gerar um clima de constrangimento entre as pessoas envolvidas no conflito, o que pode piorar a hostilidade entre os indivíduos e apenas agravar o desacordo. 

O diálogo como solução para os conflitos no trabalho

O diálogo como solução para os conflitos no trabalho

Após entender a situação, o ideal é incentivar o diálogo entre os envolvidos no conflito, ajudando ativamente para que essas pessoas se entendam. Ajude, por exemplo, sugerindo a criação de um espaço de escuta onde as duas partes poderão expor as suas motivações para o conflito de forma madura e calma. Lembre-se também de nunca tirar partido imediato de nenhuma das partes – a não ser que o conflito envolva questões mais graves, como xingamentos preconceituosos, agressões morais, físicas ou ameaças proferidas dentro ou fora do ambiente profissional. 

Outra coisa importante em relação às atitudes ativas na resolução de conflitos no trabalho é a sugestão de uma solução. Após uma conversa de entendimento entre as pessoas que protagonizaram o conflito, é mais do que necessário indicar formas de se solucionar o embate de uma vez por todas para que ele não se repita ou perpetue. Pense em soluções inteligentes e que possam, de preferência, ajudar os dois lados – afinal, muitos dos conflitos no trabalho surgem exatamente quando uma parte se sente menos contemplada que a outra em situações diversas. 

Para ajudar nesse tipo de circunstância e evitar conflitos no trabalho, você mesmo, certifique-se de sempre respeitar o espaço dos outros no ambiente profissional, sabendo separar o lado profissional do pessoal e sabendo também a importante atitude de não levar discussões do trabalho para o âmbito pessoal. Invista também no desenvolvimento da Inteligência Emocional, item extremamente em alta no mundo dos recrutadores. Um bom mindset nesse sentido e uma boa aproximação com outros colegas de empresa ou instituição são mais do que necessários para que você esteja sempre pronto para mediar ou evitar qualquer conflito profissional que venha a surgir.

Fechar Menu