· Piracicaba: (19) 3434-9873 ·· Jundiaí: (11) 4526-2528 ·

Certamente existe uma diversidade de palavras e expressões em inglês que acabam desembocando nos nossos vocabulários, substituindo possíveis expressões em português e se tornando as maneiras mais comuns de se descrever especificidades profissionais. Uma dessas expressões, que é a que vamos falar neste artigo, tem ficado bastante popular quando o assunto são capacidades profissionais e pessoais. Mas você sabe exatamente o que são as “soft skills”? 

Apesar do nome aparentemente complicado, essa expressão é simples de ser descrita e até possui uma expressão relativa em português, as chamadas “habilidades interpessoais” – com essa quase tradução livre da versão em inglês, já dá para ter um pouco de noção sobre o que as soft skills tratam. As soft skills estão ligadas de forma muito direta às nossas capacidades de cultivar e prezar por bons relacionamentos com as pessoas que nos rodeiam, o que permite relações e resultados positivos a partir desse contato. Agora pense em como isso se reflete no ambiente de estudos ou no ambiente de trabalho: um espaço em que as pessoas conseguem manter relações saudáveis e sólidas umas com as outras é capaz de garantir, por exemplo, uma boa comunicação entre os indivíduos e também garantir um clima adequado para a boa proatividade, criatividade e, claro, um bom trabalho em equipe.

Ou seja, a partir disso dá pra perceber que essas habilidades, apesar de estarem ligadas muito mais ao nosso âmbito pessoal e às nossas personalidades do que às habilidades mais diretamente profissionais, precisam ser desenvolvidas caso queiramos ter uma vida bem sucedida nos estudos ou trabalho.

Só para dar alguns exemplos práticos, as soft skills são extremamente visadas hoje em dia por recrutadores do mercado de trabalho. Processos seletivos para determinados tipos de emprego geralmente envolvem sempre uma etapa de dinâmica em equipe, e é aí onde as suas habilidades interpessoais são colocadas à prova: uma boa comunicação e um bom relacionamento com colaboradores são itens essenciais para que o trabalho em equipe seja feito – e o trabalho em equipe é essencial para atingir metas numa empresa. A comunicação clara também ajuda na etapa de entrevistas durante uma seleção de emprego, assim como a inteligência emocional (que é aquela capacidade de lidar com personalidades e opiniões diversas, sabendo como e quando agir) também é muito visada durante a seleção de um funcionário e significativa para o desenvolvimento de qualquer carreira. 

A partir desses exemplos, acho que deu para entender como as soft skills são realmente essenciais para o seu futuro profissional. Mas como fazer para melhorar essas habilidades e como usá-las a seu favor? Nós aqui do blog da Evolut listamos alguns pontos importantes a serem entendidos quando falamos de soft skills. É só acompanhar cada um deles abaixo:

Soft skills e o equilíbrio entre razão e emoção

Soft skills e o equilíbrio entre razão e emoção

Como citamos anteriormente, as soft skills estão muito mais diretamente ligadas às nossas personalidades e menos ligadas às coisas práticas que aprendemos (essas coisas práticas aliás possuem uma nomenclatura própria, chamadas de “hard skills”). Por essa ligação de ordem pessoal, desenvolver as soft skills tem a ver com o desenvolvimento da nossa própria capacidade de equilibrar razão e emoção, aprendendo a usar o melhor de cada um desses dois âmbitos para interagir com as outras pessoas e tomar decisões.

Outra questão muito importante nessa equação é a empatia: para melhorar nas soft skills, você vai precisar desenvolver esse pequeno atributo que diz respeito à capacidade de se colocar no lugar do outro. Compreensão é indispensável para que você consiga se relacionar bem com as pessoas, e ela ajuda a impedir que você aja por impulso e acabe estragando a boa comunicação com as pessoas ao redor.

Aprender a ouvir os outros e a levar em consideração as suas opiniões é algo importante tanto nos estudos, como em um trabalho em grupo, por exemplo, quanto no trabalho – para todos os profissionais e em todas as carreiras e cargos, de recém-ingressantes no mercado de trabalho a chefes e coordenadores de empresas. O diálogo precisa ser algo naturalmente permitido e incentivado e, especialmente, precisa acontecer de forma horizontal e igualitária.

Soft skills e a necessidade de uma comunicação responsável e assertiva

Soft skills e a necessidade de uma comunicação responsável e assertiva

Agora que você entendeu que a capacidade de escutar o outro é extremamente importante quando falamos das soft skills, você também precisa entender que se expressar bem é tão importante quanto. É só pensar em como uma boa comunicação se faz com o perfeito equilíbrio entre saber falar e saber ouvir. Munido desse conhecimento, você precisa começar a se expressar com clareza, fazendo uma comunicação sempre direta e inteligível para as pessoas com quem você fala. 

Existem alguns fatores que atrapalham uma comunicação ideal: timidez, dicção ruim, falta de tato ao falar com as pessoas. Alguns desses problemas podem ser resolvidos com treino ou com ferramentas como a oratória, por exemplo. Mas o que você precisa ter em mente primordialmente é que a comunicação precisa ser feita com calma, sem pressa e com atenção e reconhecimento dos sentimentos e opiniões das pessoas com quem você está falando.

Levando isso em consideração, o próximo passo é entender que a comunicação precisa ser assertiva. Não adianta ter uma boa intenção ao se comunicar se a sua comunicação é cheia de rodeios ou difícil de se entender. É importante manter um equilíbrio – entender as colocações das outras pessoas mas ainda assim ser direto sobre as suas próprias colocações. Quando a comunicação é assertiva, isso gera uma confiança entre os indivíduos e permite que todo o processo comunicacional seja mais prático e efetivo. E as empresas realmente exigem boas habilidades comunicacionais de seus contratados, afinal, a comunicação é um aspecto muito relevante para que qualquer movimentação profissional aconteça com eficácia.

Soft skills e o uso da Inteligência Emocional

Soft skills e o uso da Inteligência Emocional

Neste post nós estamos explorando uma expressão em inglês, mas uma expressão em português que virou quase um jargão quando falamos de habilidades interpessoais é a Inteligência Emocional. Nós já falamos sobre essa expressão e seu uso no mercado de trabalho em um artigo anterior, que você pode conferir aqui, mas, explicando resumidamente,  diz respeito a capacidade de saber lidar com seus próprios sentimentos e com os daqueles que o cercam. Ou seja, é a habilidade de se conhecer, entender suas crenças, seus limites, além de conseguir exercer o autocontrole. Quando a questão é lidar com o próximo, uma pessoa que possui inteligência emocional bem desenvolvida vai ter sensibilidade para entender as motivações, desejos e intenções do outro.

Como dá para perceber, a Inteligência Emocional tem um pouco a ver com a empatia, mas ela vai muito além disso. A empatia é saber se colocar no lugar dos outros, enquanto que a Inteligência Emocional, por exemplo, é saber exatamente quando você deve se colocar no lugar dos outros. Essa soft skill também diz muito respeito ao domínio e uso inteligente das nossas emoções, e esse domínio permite que coloquemos em prática as nossas ações de maneira muito mais consciente, com uma boa reflexão sobre quais são as atitudes certas a serem tomadas em determinados momentos e como elas podem influenciar nas atitudes das outras pessoas e nos resultados almejados.
Vale lembrar que, como dito antes, todas essas soft skills citadas ao longo do artigo são altamente procuradas por recrutadores de diversas empresas, então isso deixa claro a importância que elas possuem, já que habilidades interpessoais complementam as hard skills e tornam elas mais especializadas, ajudando a aumentar a produtividade e no geral o bom desenvolvimento e crescimento pessoal e especialmente profissional!

Fechar Menu